2020: confira as competições que vão levar emoção às quadras antes dos Jogos Olímpicos

Ano olímpico. Não tem jeito, é isso o que lembramos quando pensamos em 2020. É natural que os olhos de atletas e de fãs do esporte já estejam voltados para Tóquio. Os torneios olímpicos começam com o masculino um dia após a cerimônia de abertura, dia 25 de julho, e terminam com a final feminina, em 9 de agosto, pouco antes da cerimônia de encerramento dos Jogos.

Mas até lá ainda tem muito saque, bloqueio e ataque para acontecer. As próprias vagas olímpicas estarão em jogo. Ou seja, emoção garantida nas quadras no primeiro semestre. Confira o calendário e não perca nenhum lance!

Torneio Continental Classificatório

A bola começa a ser levantada já no início de janeiro, com o Torneio Continental Classificatório para Tóquio 2020. As últimas vagas para os Jogos Olímpicos estarão em disputa de 4 a 12 de janeiro, quando 31 equipes buscam as cinco vagas restantes no feminino e mais cinco no masculino.

Confira os locais e as seleções que buscam carimbar o passaporte para o Japão:

Feminino

– África (de 4 a 9 de janeiro, em Yaounde, Camarões): Argélia, Botsuana, Camarões, República Democrática do Congo, Egito, Gana, Quênia, Nigéria.
– Europa (de 7 a 12 de janeiro, em Apeldoorn, Holanda): Azerbaijão, Bélgica, Bulgária, Croácia, Alemanha, Holanda, Polônia, Turquia.
– Ásia (de 7 a 12 de janeiro, em Nakhon Ratchasima, Tailândia): Austrália, Indonésia, Irã, Taipé Chinês, Cazaquistão, Coréia, Tailândia.
– América do Sul (de 7 a 9 de janeiro, em Bogotá, Colômbia): Argentina, Colômbia, Peru, Venezuela.
– América do Norte e Caribe (de 10 a 12 de janeiro, em Santo Domingo, República Dominicana): Canadá, República Dominicana, México, Porto Rico.

Masculino

– Europa (de 5 a 10 de janeiro, em Berlim, Alemanha): Bélgica, Bulgária, República Tcheca, França, Alemanha, Holanda, Eslovênia, Sérvia.
– África (de 6 a 12 de janeiro, no Cairo, Egito): Argélia, Botsuana, Camarões, Egito, Gana, Níger, Tunísia.
– Ásia (de 7 a 12 de janeiro, em Jiangmen, China): Austrália, China, Taipé Chinês, Índia, Irã, Cazaquistão, Coréia, Catar.
– América do Sul (de 10 a 12 de janeiro, em Santiago, Chile): Chile, Colômbia, Peru, Venezuela.
– América do Norte e Caribe (de 10 a 12 de janeiro, em Vancouver, Canadá): Canadá, Cuba, México, Porto Rico.

Os vencedores dos torneios de janeiro se juntarão às equipes masculinas do Brasil, EUA, Itália, Polônia, Rússia e Argentina, e às equipes femininas da Sérvia, China, EUA, Brasil, Rússia e Itália. Além do Japão, que como anfitrião já tem vaga garantida para as equipes masculina e feminina.

Acesse aqui a página da competição.

Liga das Nações de Vôlei

De maio a julho será a vez da Liga das Nações de Vôlei da FIVB. Bélgica, Brasil, Canadá, China, Alemanha, Hong Kong, Itália, Japão, Coréia, Macau, Holanda, Polônia, Rússia, Sérvia, Tailândia, Turquia e EUA serão as federações anfitriãs do evento feminino. No masculino, Argentina, Brasil, Bulgária, Canadá, China, França, Alemanha, Itália, Irã, Japão, Polônia, Rússia, Sérvia, Eslovênia e EUA serão os países anfitriões.

A terceira edição do VNL começará em 19 de maio de 2020 para as mulheres, com a competição masculina iniciando em 22 de maio. Em cada gênero, 16 das melhores equipes do mundo competirão por uma vaga na final. As rodadas preliminares ocorrerão de 19 de maio a 21 de junho e as partidas da medalha de ouro de ambos os eventos (masculinos e femininos) ocorrerão em 5 de julho.

De olho em 2020, mas lembrando 2019, a Liga das Nações de Vôlei teve mais envolvimento dos fãs digitais do que nunca. Em apenas seu segundo ano e com uma nova abordagem ao conteúdo digital, o evento atraiu 550 mil novos seguidores de mídia social, quatro vezes o de 2018! Em todos os canais, mais de 52 milhões de minutos de ação ao vivo, destaques e clipes foram assistidos e compartilhados pelos fãs, enquanto impressionantes 3,8 bilhões de impressões de mídia social foram registradas ao longo do VNL!

O #VNL mostrou um crescimento incrível em todas as suas plataformas digitais, registrando mais de 10 milhões de visualizações no YouTube, um salto gigantesco de 778% ano a ano. E a expectativa é que em 2020 a competição alcance tanto os mais sucesso. “O VNL continuou a ir de força em força e estamos muito satisfeitos por poder levar o vôlei para novos públicos. Não tenho dúvidas de que o VNL 2020 cativará os fãs de vôlei ao redor do mundo mais uma vez”, diz Ary Graça, presidente da FIVB.

Acesse aqui a página da competição.